Bem Vindo ao Notícias Virtuais - 21 de Setembro de 2018 - São 18:07Horas

Política

Wellington gasta R$ 2,1 mi e, assim como Mauro e Taques, é bancado pelo partido

PRESTAÇÃO PARCIAL | 10/09/2018 16h 53min

Encerrou neste domingo (9) o prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral para que os candidatos entregassem prestação de contas parcial de receitas e despesas de campanha. Dos cinco candidatos ao governo em Mato Grosso, Wellington Fagundes (PR) é o que já realizou maior movimentação de dinheiro em pouco mais de 20 dias de campanha.

O republicano declarou já ter recebido mais de R$ 1,6 milhão de doações e já acumula despesas de R$ 2,1 milhões. O contrato mais caro assinado pelo candidato foi com a produtora de vídeos Plano B, cujo valor negociado é de R$ 380 mil. Já o diretório nacional do PR é o principal doador da campanha, garantindo R$ 1,6 milhão.

O candidato a reeleição, Pedro Taques (PSDB) declarou R$ 1,4 milhão de receita e gastos em torno de R$ 576 mil até agora. A maior fonte de receita é o diretório nacional do partido, que doou R$ 1,2 milhão. Já a maior despesa foi com produção de programas de rádio, televisão e vídeos, sendo negociados R$ 220 mil até agora. A produtora Monkey Filmes foi é a empresa com maior contrato, de R$ 120 mil.

Por sua vez, o candidato Mauro Mendes (DEM) já gastou R$ 1,6 milhão até o momento, e tem a receita de R$ 1,3 milhão. O maior contrato assinado nesta campanha pelo democrata é com o escritório de advocacia de Rodrigo Cyrineu, ao qual está sendo pago R$ 300 mil. Já o maior doador da campanha é o diretório nacional do DEM, que já depositou R$ 1 milhão na conta da campanha.

Arthur Nogueira (Rede) e Moisés Franz (Psol) não declararam nenhum gasto ou receita. O teto de gastos dos candidatos neste ano é de R$ 5,6 milhões.

Fonte:   Rd News