Bem Vindo ao Notícias Virtuais - 16 de Agosto de 2018 - São 11:38Horas

Política

Fávaro ignora exclusão feita por Pivetta e afirma que decisão é do eleitor nas urnas

política | 17/03/2018 00h 04min

Pré-candidato ao Senado, o vice-governador Carlos Fávaro fez "pouco caso" da afirmação do ex-prefeito de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta (sem partido) que disse não que o não há espaço para Fávaro no “time da oposição”. O social-democrata jogou a responsabilidade para o eleitorado. “É momento de articulação. Cada um tem direito de expressar seus desejos e suas necessidades, o que está achando da política. Quem vai tomar a decisão é o eleitor lá em outubro”, disse Fávaro durante visita do ministro da Educação Mendonça Filho (DEM-PE) a Várzea Grande.

A rivalidade entre os dois iniciou em Lucas do Rio Verde, onde ambos têm base eleitoral, durante as eleições de 2016. Isso porque Pivetta buscou a reeleição e foi derrotado pelo atual prefeito Luiz Binotti (PSD), que teve o apoio de Fávaro.

O ex-gestor da cidade pólo tem se reunido com o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes, que deixou o PSB e se filia ao DEM no próximo dia 23. Mauro tem se movimentado no sentido de se viabilizar como pré-candidato a governador. Os dois são aliados antigos. Pivetta foi candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Mauro em 2010. À época, acabaram sendo derrotados por Silval Barbosa.

Hoje, o grupo oposicionista ainda contaria com o secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande Jayme Campos (DEM) e com o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) como possíveis candidatos ao Senado - mas ambos, oficialmente, ainda seguem no muro e não romperam com o grupo de Taques. Para Pivetta, esta composição excluiria o PSD de Fávaro, visto que, neste ano, apenas duas vagas serão disputadas.

Fávaro, por sua vez, tem evitado falar em compor com a oposição. Sempre que é questionado, reafirma que está se esforçando para manter o grupo pró-Taques unido.

Embora reconheça que setores do PSD estão descontentes com o tucano e querem a ruptura, Fávaro afirma que trabalha pela unidade. Garante ainda que todos serão ouvidos nas instâncias partidárias.

“Alas dentro do partido querem continuar junto com base aliada (especialmente deputados) e alguns não querem continuar. Vou ouvir bases a partir de abril, visitando os municípios. Vamos formar diretório nos 141 municípios, aproveitando para tomar as decisões com as bases”, completou.

Críticas

Ontem (15), Pivetta detonouTaques em entrevista à Rádio Capital FM. Chamou o governo de medíocre e disse que o tucano não tem direito de disputar a reeleição. Ex-aliado do governador, ele coordenou a campanha e a transição de Taques em 2014 quando ainda eram correligionários no PDT. O ex-gestor, que se desfiliou do PSB e hoje está sem partido, deve retornar aos quadros do PDT, partido que faz oposição ao Governo Taques.

 

Fonte:   rdnews - Jacques Gosch e Tarso Nunes

Enquete

Qual o melhor nome para Presidente do Brasil?

Bolsonaro

Lula

Aécio Neves

Ciro Gomes

Marina Silva

Michel Temer