Bem Vindo ao Notícias Virtuais - 21 de Setembro de 2018 - São 17:05Horas

Política

Em queda de braço com Taques, Leitão intensifica visitas para viabilizar sua candidatura ao Senado

ELEIÇÕES 2018 | 12/01/2018 09h 33min

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) tem aproveitado o recesso parlamentar no início deste ano eleitoral para fortalecer sua base política. Desde os primeiros dias de janeiro, o tucano tem rodado diversos municípios do interior, em clara estratégia de viabilizar sua candidatura ao Senado, em outubro.

Neste momento de queda de braço com o governador Pedro Taques no próprio PSDB, Leitão visitou Sinop (domicílio eleitoral), Colíder, Alta Floresta e Paranaíta. Além de reuniões com lideranças políticas de cada município, também participou de entrevistas em emissoras de TV e rádio.

Ontem (10), o tucano esteve com lideranças do partido e representantes do setor madeireiro e garimpos de Alta Floresta. No período da tarde foi a Paranaíta, onde foi recebido pelo prefeito Tony Ruffato (PSDB). Todos os atos políticos estão registrado no perfil do político no Twitter.

Em fevereiro, com a volta ao trabalho, Leitão assume e liderança da bancada do partido na Câmara. Além deste desafio, o tucano terá que contornar a crise interna com Taques. Em novembro, os dois começaram a se desentender por conta do desejo do parlamentar em buscar uma candidatura a senatoria.

O governador, no entanto, vê a possibilidade como uma ameaça a sua reeleição, uma vez que seria difícil conseguir emplacar duas candidaturas do mesmo partido na chapa majoritária. A rusga entre os tucanos ficou pior devido as criticas contundentes de Leitão a administração estadual.

Afirma que a saúde do Estado está um caos, com atrasos financeiros e cobra a cabeça do secretário Luiz Soares. Situações que motivaram o governador a ameaçar deixar o partido. De acordo com o presidente regional da sigla, Paulo Borges, o ninho tucano se reúne ainda na primeira quinzena de janeiro para tentar apaziguar os ânimos e alinhar a rota do partido, com destino às eleições deste ano.

Aliado de Leitão, Paulo Borges deixou a presidência da MTI quando a briga interna se acirrou. Além disso, sua eleição para presidente do PSDB mato-grossense representou a derrota do grupo de Taques. 

Fonte:   Rd News