Bem Vindo ao Notícias Virtuais - 21 de Setembro de 2018 - São 17:05Horas

Política

DEM deverá ter candidato próprio ao governo de MT

ELEIÇÕES 2018 | 09/03/2018 07h 54min

O DEM decidiu em sua convenção nacional, realizada em Brasília nesta quinta (8), apresentar candidatos a governador em pelo menos 12 estados, o que inclui Mato Grosso. A determinação foi repassada aos dirigentes estaduais pelo prefeito de Salvador (BA), ACM Neto, recém-eleito presidente nacional da sigla em substituição ao senador José Agripino Maia (RN).

Representaram o DEM mato-grossense o presidente estadual da sigla, deputado estadual Dilmar Dal Bosco e os irmãos Júlio e Jayme Campos, considerados dirigentes históricos. O ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes e os deputados estaduais Eduardo Botelho e Adriano Silva, que romperam com PSB e já decidiram pela filiação ao Democratas, também participaram da convenção.
A determinação nacional sobre candidatura ao governo respalda as articulações do DEM em Mato Grosso. O partido tem sinalizado que pretende se afastar da base de sustentação do governador Pedro Taques (PSDB) para disputar à majoritária.

Dilmar evitou falar diretamente em candidatura a governador, mas reafirmou a disposição do DEM de apresentar candidaturas majoritárias seja para chefia do Executivo ou Senado. Segundo ele, o partido está apresentando os nomes de Jayme e Mauro como opções para disputa eleitoral.
“Temos quadros como o ex-senador Jayme Campos e o ex-prefeito Mauro Mendes que têm boa aceitação na população e estão preparados para disputar qualquer cargo. Estão no mesmo nível do ACM Neto e do senador Ronaldo Caiado”, declarou Dilmar ao  , de Brasília, usando como referência os democratas que disputarão os governos da Bahia e de Goiás, respectivamente.
Embora não confirme que o DEM romperá com Taques, Dilmar garante que adotará postura de independência ao Governo do Estado. Lembra que apesar de ajudar a eleger e compor a base nos três anos da gestão, a sigla não foi contemplada com nenhum cargo no primeiro escalão ou secretaria-adjunta.
“O partido cresceu e precisa disputar a majoritária para continuar crescendo. Vamos seguir a orientação do DEM nacional. Chegar em Mato Grosso, arregaçar as mangas e trabalhar para viabilizar nosso espaço nas eleições”, completou.
A possível candidatura a governador também contempla o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ), que foi lançado pré-candidato à presidência da República na convenção. A consolidação de Maia na disputa também depende de palanques nos estados e Jayme ou Mauro podem garantí-lo.


O partido não lançava um candidato desde as eleições de 1989, quando ainda se chamava PFL e lançou o mineiro Aureliano Chaves como presidenciável. No entanto, o pernambucano Marco Maciel foi vice nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).
Para Dilmar, o manifesto em que o DEM apresenta suas prioridades na área econômica e social e se define como de "centro democrático", abandonando a roupagem de direita que acompanhou a legenda desde que se chamava de PFL, confirma o que já estava sendo colocado em prática pela militância. Além disso, o próprio logotipo passará por mudanças.
“Na prática, o Democratas já vinha atuando como partido de centro há muito tempo. Sempre buscamos o diálogo e o entendimento com todos os segmentos sem radicalismo”, asseverou.
A primeira medida de ACM Neto como presidente será destituir os presidentes das comissões provisórias estaduais e municipais do partido. Novos dirigentes serão escolhidos nas próximas semanas. A medida visa acomodar a chegada de novos filiados à legenda.
Em Mato Grosso, será realizado ato político para anunciar as mudanças nos diretórios estaduais e municipais, com data a ser marcada. O evento também servirá para oficializar as filiações de Fabio, Mauro, Botelho e Adriano, entre outras lideranças que aguardam janela legal ou estão em conversação com o partido. (Com informações da Agência Estado).

Fonte:   Rd News