Bem Vindo ao Notícias Virtuais - 15 de Novembro de 2018 - São 15:56Horas

Geral

Brustolin e Modesto teriam pego quase R$ 2 mi em propina para assumir pastas

POR FORA | 21/10/2018 12h 08min

A delação premiada do empresário Alan Malouf indica que os ex-secretários de Estado Paulo Brustolin (Fazenda) e Júlio Modesto (Gestão e Casa Civil) teriam recebido propina de quase R$ 2 milhões ao longo de 2015. O pagamento, que teria sido efetuado por empresários que financiaram a campanha do governador Pedro Taques (PSDB) seria uma espécie de complemento aos salários pagos pelo Governo do Estado.

Segundo Alan Malouf, Brustolin ganhava salário mensal de R$ 60 mil como executivo da Unimed Mato Grosso. Por isso, teria exigido R$ 500 mil para assumir a pasta da Fazenda e mais complemento de R$ 80 mil entre janeiro de dezembro de 2015.

Já Modesto recebeu valor menor. Conforme a delação, o complemento mensal recebido no mesmo período foi de R$ 25 mil.

Os pagamentos a Brustolin e Modesto teriam sido feitos pelo próprio Allan Malouf e pelos empresários Marcelo Malouf, Erivelton Gasques e Juliano Bortoloto. A liberação dos valores teria sido em forma de empréstimo a pedido do próprio Taques.

De acordo com a delação, os empresários iriam reaver os recursos através do esquema de corrupção na secretaria estadual da Educação (Seduc) quando a pasta era dirigida por Perminío Pinto (PSDB), desmantelado pela Operação Rêmora do Ministério Público Estadual (MPE). O acordo para o pagamento dos empréstimos teria sido avaliado por Taques.

Brustolin deixou a pasta da Fazenda em junho de 2016. Modesto iniciou o governo comandando a secretaria estadual de Gestão, em abril deste ano assumiu a Casa Civil e deixou o secretariado de Taques em junho.

 tentou contato com os citados na delação. No entanto, não obteve sucesso.

A delação

A delação de Alan Malouf narra 20 eventos delitivos divididos em 20 anexos e envolve além de Taques, o deputado federal Nilson Leitão (PSDB) e outras lideranças políticas mato-grossenses. Homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em abril deste ano, teve o sigilo retirado pelo ministro Marco Aurélio Mello nesta sexta (19).

 

 

 

 

 

Fonte:   Rd News