Bem Vindo ao Notícias Virtuais - 21 de Julho de 2018 - São 13:37Horas

Estado

Governo analisa reduzir taxa de juros para financiar a safra 2018/2019

Agronegócio | 13/05/2018 11h 53min

A área econômica do Governo Federal analisou nesta terça-feira (8), a possibilidade de redução da taxa de juros do crédito agrícola, para o próximo Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2018/2019, que terá início no dia 1º de julho deste ano. A expectativa é que o desembolso do crédito rural na safra ainda em vigor (2017/2018) fique entre R$ 145 bilhões e R$ 150 bilhões, do montante total destinado que foi de R$ 188,3 bilhões.

A negociação sobre custo do financiamento e valor a ser destinado ao crédito rural aconteceu no gabinete do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Blairo Maggi com a presença do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, e representantes do Ministério da Fazenda e do Tesouro Nacional.

“Estamos tentando chegar a um denominador comum, que seja bom para o produtor rural e que não comprometa o orçamento fiscal”, ressaltou o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Wilson Vaz de Araújo

Quanto aos recursos a serem destinados para financiar a agricultura da próxima safra, o secretário disse que “tem que haver um equilíbrio entre o volume de recursos disponíveis e a taxa de juros”. Ele explica que, de um lado, houve queda da taxa Selic (taxa de referência básica de juros da economia) e da inflação. Mas disse que há outras variáveis como a fonte de recursos e o impacto no orçamento federal.

Vaz de Araújo explicou que, para chegar a um valor do plano rural, “o governo pondera a execução do ano anterior, a disponibilidade das fontes e a disponibilidade orçamentária para fazer a subvenção à taxa de juros”.

O Ministério da Agricultura fará outras reuniões com a equipe econômica. O anúncio do PAP está previsto para ocorrer na primeira semana de junho, em Brasília.

Fonte:   Olhar direto - Fabiana Mendes

Enquete

Qual o melhor nome para Presidente do Brasil?

Bolsonaro

Lula

Aécio Neves

Ciro Gomes

Marina Silva

Michel Temer