Bem Vindo ao Notícias Virtuais - 21 de Setembro de 2018 - São 18:02Horas

Cidades

6 mil ficam sem salário e Sisma faz nota de repúdio

SERVIDORES DA SAÚDE | 11/03/2018 09h 35min

O presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde e do Meio Ambiente (Sisma), Oscarlino Alves, afirma que o salário de 6 mil servidores da saúde não caiu na conta, ontem (9), como havia prometido o governo estadual. “É obrigação do Estado pagar em dia e ainda mais de área essencial como é a saúde pública. O Sisma não possui as chaves do cofre do erário público e nem tão pouco necessita se rastejar ou render obediência a governo para receber seus salários na data correta”, disse o sindicalista por meio de nota de repúdio.

Ainda de acordo com a nota, Oscarlino entrou em contato com o secretário estadual de Fazenda (Sefaz), Rogério Gallo, dizendo que ocorreu um erro técnico e que iria verificar o problema. “Até porque, segundo notas oficiais pagaram a dívida com o Bank of America e as demais categorias de servidores públicos. E à Saúde resta o cartão de crédito ou cheque especial”, lamenta.

O presidente diz ainda que não acredita que a categoria tenha sido “boicotada”, uma vez que liderou a greve geral pela Revisão Geral Anual (RGA), em 2016. “Se fosse assim estaríamos lidando com pessoas desumanas e,, sinceramente, não acredito nisso”, consta na nota.

Na manhã de ontem o próprio governador Pedro Taques (PSDB) havia garantindo que o salário dos servidores seria pago na sexta. Dos 100 mil, 30 mil aposentados receberam às 10h, enquanto o restante, 70 mil, receberiam a partir das 15h.

Outro lado

O governo, por sua vez, informa que o salário dos servidores da Saúde estará disponível nas respectivas contas no período da manhã da segunda (12). Acontece que a Secretaria de Saúde (SES) encaminhou à Sefaz o arquivo da folha salarial às 15h30 de sexta (9), mas um erro foi detectado quando da geração desse arquivo pela SES. 

O problema foi corrigido pelas equipes técnicas, mas devido ao horário avançado não foi possível efetuar o crédito a esse grupo de servidores. A Sefaz reafirma a disponibilidade de recursos no Tesouro para efetuar o pagamento de todos os servidores, como já anunciado.

As demais unidades orçamentárias enviaram os respectivos arquivos até as 12 horas, o que permitiu realizar os procedimentos para que todos os demais 94 mil servidores recebessem os vencimentos até 16 horas de ontem.

Embora o equívoco detectado e a determinação para pagamento de todos no dia 9, a Constituição do Estado estabelece como data para pagamento o dia 10 de cada mês de maneira que, na segunda, o salário dos servidores da Saúde ainda estará sendo pago em dia.

Veja, abaixo, a íntegra da nota de repúdio do Sisma:

Nota de Repúdio ao governo

É com profundo pesar que vimos aos servidores públicos da saúde do Estado de MT manifestar nossa solidariedade e repúdio aos governantes.

Servidores que hoje estão sem seus salários em casa ou nos plantões dos Hospitais Regionais e SAMU, fazendo contas para pagarem juros e correções aos bancos e credores, mas trabalhando pra salvar vidas.

Essa nota do Governo passa a se configurar em mais uma promessa não cumprida. Não pagaram os guerreiros do SUS!

Falei hoje pela manhã com o secretário de fazenda que me atendeu cordialmente e me garantiu ter ocorrido um erro técnico e que iria averiguar.

Até porque segundo notas oficiais pagaram a dívida com o Bank of América e as demais categorias de servidores públicos e a saúde resta o cartão de crédito ou cheque especial.

Só existem realmente duas possibilidades para tal fato lamentável e trágico para nossas famílias: 
1) Ou não tinham recursos no banco;
2) Ou ocorreu algum problema de ordem técnica, já que no Financeiro da secretária de Saúde tem muitos servidores temporários, porque não temos concurso há 16 anos.

Aos falsos profetas de plantão que atiçam fogo e se aproveitam do momento difícil de nossas famílias com pretenção política, digo que não acredito na hipótese de que pelo fato da categoria da saúde ter sido uma das protagonistas da Greve histórica pela RGA de que estaríamos sendo retaliados pelo atual governo.

Se fosse assim estaríamos lidando com pessoas desumanas, e sinceramente não acredito nisso.

O SISMA já tomou providências há meses atrás na Justiça em relação aos atrasos nos pagamentos dos nossos salários. Será mais uma prova contundente de nossas ações judiciais, lembrando que a ⚖ demora.

O SISMA não possui as chaves do cofre do erário público e nem tão pouco necessita se rastejar ou render obediência à governo para receber seus salários na data correta.

É obrigação do Estado pagar em dias e ainda mais de área essencial como é a saúde pública.

Meus sentimentos e solidariedade aos colegas da saúde.

Eu sempre digo, vocês são meus heróis!

Oscarlino Alves 
Presidente do SISMA/MT

Fonte:   Rd News